agosto 29, 2008

Na grande América... e não só!

Recebo com regularidade a "newsletter" do Michael Moore e penso que ele deve viver bastante angustiado num país que é conhecido como a "maior democracia do mundo" e que na prática nos mostra diariamente as maiores misérias e injustiças.

Resolvi destacar uma elucidativa passagem dessa carta que ele escreveu aos que votaram Bush nas últimas eleições:

"A nossa vulnerabilidade não é apenas lidar com os terroristas e com as catástrofes naturais. Nós somos vulneráveis e inseguros, porque estamos a permitir que um em cada oito americanos estejam a viver numa pobreza horrível. Nós aceitamos um sistema de ensino onde uma em cada seis crianças nunca conseguirá uma graduação e a maioria delas não consegue construir uma frase coerente. A classe média não pode pagar as facturas da hipoteca ou do hospital e 45 milhões não têm qualquer cobertura de saúde."

Os teóricos da direita portuguesa poderão rever-se no parágrafo anterior e ver quão brilhante é o pensamento que gera resultados tão nefastos como os que ficam demonstrados. Está lá tudo:
CLASSE MÉDIA, EDUCAÇÃO, SAÚDE, SEGURANÇA, TERRORISMO...

Para os meus concidadãos apenas algumas perguntas: É isto que querem para o resto da vossa velhice?... É este o futuro que querem para os vossos filhos e netos?
ENTÃO PARA A PRÓXIMA VEJAM BEM ONDE VÂO METER O VOSSO VOTO.

Para o Michael Moore: Com todo o respeito que ele me merece, lamento mas não acredito no "Barraca Obama"...
A América ainda não está preparada para MUDAR A SÉRIO!

1 comentário:

Ana disse...

Amkérica são muitas "Américas". A América do Moore, a América do Bush...eu estive lá. vi pouco. A América enquanto "bolo" tem o melhor e o pior. A Améica pode ir mudando. Acredito que sim. o Moore tb me coloca muitas "dúvidas". Obama tb. ainda assim, acredito neles...ainda assim...