janeiro 30, 2006

Inquilino transitário no Palácio de Queluz

O Sr. Silva vai formar a sua "corte" no Pavilhão D. Maria I do Palácio Nacional de Queluz.Sabe-se ainda que vai dispor de vários gabinetes de apoio para desempenhar as suas "árduas" tarefas até tomar posse.


Resido em Queluz há cerca de 50 anos e este acontecimento fez-me recordar um episódio grotesco passado no tempo da outra senhora em que o então Presidente "fantoche" Américo Tomás (mais conhecido pelo "cabeça de giz") desterrou para uma espécie de prisão dourada o então primeiro-ministro Marcelo Caetano que andava a ensaiar a "evolução na continuidade".


O Palácio de Queluz tem vindo a degradar-se ao longo do tempo e os seus jardins mais parecem "tulhas de lixo" com a falta de manutenção. De facto era mesmo disto que o Palácio e a cidade mais precisavam! Num tempo em que os responsáveis políticos falam de "contenção" estes trocos gastos com mordomias não têm qualquer peso...


Tem assim o Sr. Silva um percurso "Real" da marquise na travessa do Possolo para Belém via Régia de Queluz.

janeiro 16, 2006

No país das maravilhas...

Ora vejam só as maravilhas deste pequeno porém "desonesto país" em que vivemos:

O Diário de Notícias destaca em manchete: «Metade da função pública não será avaliada em 2006» e refere que o novo sistema de avaliação está atrasado, mas o Governo culpa o anterior Executivo PSD/CDS-PP.

«Eleitores fantasma são 600 mil» É a manchete do Correio da Manhã, que refere que 600 mil cidadãos estão indevidamente nos cadernos eleitorais.O matutino informa ainda que as Juntas de Freguesia não eliminam nomes de mortos para não perderem subsídios.

janeiro 13, 2006

MAIS UM ANO E TUDO NA MESMA

Após uma paragem de quase 2 meses cá estamos de novo a "uivar" contra a corja.
Curto balanço ao ano de 2005: Trapalhadas, aldrabices, futebolices, compadrio, corrupção, injustiças, incompetência, perversão, charlatanices, medo, destruição, violêcia gratuita... CHEGA?!...
Pois, já não há pachorra para voltar a falar sobre tudo o que já foi dito. Deixamos isso para os jornais que o fazem só para vender mais umas toneladas de papel sem fazer qualquer esforço (é só recorrer aos arquivos e está feito!).

UMA EXCEPÇÃO: AQUILO A QUE COSTUMAM CHAMAR "AS NOSSAS ÉLITES".
A começar pelo conceito que é ELITISTA e um tremendo disparate para enganar tolos reflecte bem a forma de pensar dos charlatães da nossa praça.
Então vejamos as maravilhas que as Elites nos trouxeram: Candidatos Presidenciáveis, ministros sinistros, trapalhadas, aldrabices, futebolices, compadrio, corrupção, injustiças, incompetência, perversão, charlatanices, medo, destruição, violência gratuita...
2006 está aí­ e o que se vislumbra não é nada estimulante.
O frio e a falta de chuva enquadram um cenário à espera dum "SALVADOR DA PÁTRIA".
Como se isso existisse...