junho 08, 2007

Portugal Virtual

Confirmando a recente informação da OCDE que prevê uma quebra de 30% no valor das pensões dos trabalhadores portugueses, hoje, um pouco por todo o país, registou-se um anormal movimento nos Centros de Emprego, que foram muito procurados por patrões à procura de trabalhadores desempregados com mais de 60 anos. Os peritos na matéria interpretam este fenómeno como uma resposta responsável e patriótica das entidades patronais perante o actual grave problema do desemprego e o perigo do Fundo de Pensões entrar em ruptura .
Esta situação vem dar ainda razão ao senhor ministro do trabalho que desde há muito, tem vindo a anunciar que os trabalhadores podem prolongar a vida laboral, porque o patronato está muito interessado em contar com colaboradores "mais maduros" e experientes.
Prevê-se ainda uma inversão nas grandes opções de gestão das empresas que passarão a preferir pagar um bom ordenado a um trabalhador sénior com muita experiência e conhecimentos em vez de duas míseras remunerações a recém-licenciados sem "background"...
Confirmando este novo cenário prevê-se que as páginas de oferta de emprego dos jornais no próximo fim de semana registem mais de 70% de colocações para seniores!
O optimismo instalou-se definitivamente quando chegou ao conhecimento público o conteúdo das declarações do responsável pela Associação Nacional dos Lares e Casas de Repouso para Idosos que anunciou a criação de cursos de formação na área das Novas Tecnologias e do Marketing para seniores (tudo isto integrado no "Programa Novas Oportunidades") e a instalação de "Help-desks" e "Call-Centers" na maior parte dos lares existentes, cujos postos de trabalho serão ocupados por trabalhadores com idades superiores a 60 anos.
Estes acontecimentos no nosso país foram projectados à escala Mundial quando foi feita na nota de encerramento da reunião do G8 na Alemanha uma referência à "forma positiva de como os responsáveis políticos e económicos portugueses estão a lidar com a globalização e as soluções que encontram para resolver os graves problemas sociais de Portugal, constituindo um verdadeiro exemplo para toda a comunidade europeia e mundial!".

junho 01, 2007

Ainda sobre a greve geral

Mas porque é que ninguém denuncia claramente e em linguagem para que toda a gente entenda a principal razão porque muitos trabalhadores não aderiram à greve?...
A REPRESSÃO ESTÁ AÍ. Faz-se de forma "discreta" e não é preciso usar a força ou o cacetete.
A chantagem económica e a ameaça de despedimento sobre aqueles que trabalham em condições cada vez mais precárias são as verdadeiras razões para a situação.
O grande capital, políticos ao seu serviço e os lacaios e amarelos sabem que a correlação de forças está a seu favor.
Quem faz greve vai para a "lista negra", para os outros: Fado, futebol, Fátima e televisão chegam para os afastar da luta...
A nova "casta" dita socialista no poder é aplaudida pelos poderosos porque tem feito aquilo que nem os partidos da direita conseguiram.
Como diria o velho lobo: "Já não basta uivar, há que ferrar-lhes o dente!"