fevereiro 18, 2009

O que vejo da minha janela (1)

Como acredito que a minha geração ainda tem mais uma tarefa no que respeita ao exercício da cidadania vou hoje "inaugurar" este tema que abordará apenas assuntos e problemas da terra onde resido há mais 50 anos: Queluz.

Participei ontem numa Assembleia de Freguesia, graças ao aviso lançado pela CDU local, onde foram abordados dois temas que muito dizem aos Queluzenses: A intenção que a Câmara Municipal de Sintra tem em colocar parquímetros na freguesia e a situação do Centro de Saúde local.
Há muito que me bato contra a "desordem e bandalheira" do estacionamento de automóveis junto à minha casa e que já foi motivo de várias reclamações que fiz quer para a Câmara Municipal de Sintra quer para a Junta de Freguesia de Queluz.
Incluí até sugestões aos serviços competentes para que recorressem à marcação dos lugares de estacionamento e ao reforço da fiscalização com o objectivo de normalizar a situação. A foto abaixo ilustra o que estou falando.
Esta é a Rua Gomes Freire onde já várias vezes fui insultado e provocado por alguns energúmenos (que até não são moradores no local) por reclamar não conseguir sair deste emaranhado de carros...

A Câmara de Sintra começou há meses a fazer umas obrazitas que, por sinal parecem estar paradas, o que tem causado inúmeros incómodos à população, vindo ontem a saber que o verdadeiro motivo é impor parquímetros aos Queluzenses. Isto para ajudar a matar o comércio que se arrasta sem compradores e criar mais despesas às depauperadas economias familiares dos moradores que já pagam muito em impostos camarários sem retorno em benefícios. Basta ver-se o estado deplorável em que se encontra a nossa freguesia em termos de falta de equipamentos, mau estado do piso e dos passeios das ruas, a situação caótica do trânsito e falta de estacionamento, insegurança, ausência de vida cultural, para enumerar alguns aspectos básicos que deviam ser defendidos pelo presidente da Junta de Freguesia que atribui sempre a culpa à população e refugia-se na desculpa de que muitos desses aspectos não lhe dizem respeito.

aspecto do estado duma rua perpendicular à principal "Avenida" de Queluz

gestão deficiente num espaço de estacionamento - onde estão 3 automóveis poderiam estar 5

Como exemplo dos disparates que têm sido feitos ultimamente, a foto acima tirada na rua Gomes Freire, ilustra bem uma situação em que inicialmente o passeio foi arranjado e alargado para de seguida, passado algum tempo, ser aproveitado para as tais "bolsas de estacionamento". Como a solução inicial não previa o que agora se fez, a posição das 3 árvores estão a desaproveitar espaço.

Com este estado de coisas dispõe-se então a Câmara de Sintra, "capitaneada" por um conhecido comentador de futebol da SIC, a avançar para parquímetros...
Ontem, na assembleia de freguesia, foram votadas e aprovadas propostas apresentadas pelo PS e coligação +Sintra (PPD-CDS), além de uma moção da CDU completamente contraditórias. No final o presidente, depois de ter "amuado" várias vezes teve o bom senso de garantir que enquanto não estiverem criadas condições aceitáveis (estacionamento gratuito e melhoria do ordenamento das ruas) não haverá parquímetros em Queluz.
A ver vamos...

Uma coisa é certa: Em ano de eleições autárquicas já é visível o nervosismo apoderar-se das formações habituadas a repartir o poder (PS, PPD e CDS) e continuarem a prometer para não cumprir. A prática política local é um espelho em pequena escala da arrogância e incompetência do poder central e das várias clientelas instaladas.

fevereiro 09, 2009

Uma descarada promoção de Salazar

Bastou-me o visionamento de cerca de 15 minutos da "telenovela" em dois capítulos, para perceber que a estação do Sr. Balsemão quer facturar à custa da desinformação e de forma oportunista disputar as audiências com o "Conta-me como foi", que apesar de tudo, tem um cariz mais VERDADEIRO em relação aos tempos que vivemos sob a pata da igreja e do FASCISMO patriarcal do Sr. António BOTAS!
A forma é descarada: O António passa a ser um "garanhão" que papou tudo e todas (figura que agrada ao machismo latino e tem sucesso garantido) ao contrário da verdadeira matriz do ditador perverso, educado no seio duma Igreja reaccionária que acoitava nos seus seminários muitos pedófilos e seres com desvios mentais perigosos. ESTE FOI O MEIO QUE PARIU O ANORMAL!

Para ilustrar, desmascarando a brandura televisiva, reproduzo abaixo uma imagem que encontrei num blogue e que REVELA a verdadeira face do ditador e do amor que ele tinha pelas mulheres portuguesas.

Os esbirros de Salazar carregam sobre operárias do Barreiro em 1943

Aqui fica uma imagem que é um contributo contra a mistificação do António "bom ditador" e da sua verdadeira face em relação às mulheres.