agosto 18, 2008

A tal "política de marketing" à americana

Há dias ouvi na rádio que tinham convidado os dois candidatos para um encontro numa igreja na Califórnia onde eles terão aproveitado para confessar velhos pecados!
Os americanos ficaram a saber que podem optar livremente e escolher entre um marido infiel e um arrependido por ter usado drogas.
Esta é a melhor face duma América hipócrita bem ao nível dos velhos tempos em que o Elvis não era filmado da cintura para baixo por causa dos seus gestos considerados obscenos enquanto os agentes da CIA envenenavam leite das crianças em Cuba (embora tenham dito que era mentira dos comunistas...)
Entretanto está de saída o republicano Bush (responsável directo por milhares de assassínios no Iraque) e deve estar para entrar um "democrata" que irá prestigiar o passado de outros distintos antecessores de partido: O Kennedy da Baía dos Porcos e o Clinton da guerra do Kosovo.
Tantos nomes ao serviço das corporações do capital imperialista esses sim, patrões do mundo enquanto nós e os cidadãos americanos permitirem.

2 comentários:

Zé Brites disse...

Caro Jaime,
Este tipo de acções já não nos deve surpreender.
O marketing não é mais do que a utilização de estratégias visando enganar os consumidores. Neste caso serão os eleitores as vítimas desta ciência (?) ou arte (?) da aldrabice.
Cabe aos cidadãos abrirem bem os olhos para não se deixarem enganar, tal como o Casimiro da canção do Sérgio Godinho.

Filipe disse...

Qual marketing, quais consumidores.
Começamos a ter a expressão máxima de que os (supostos)dirigentes politicos dos paises começam a não serem mais que individuos escolhidos pelas máfias religiosas, corporativas, multinacionais, diamantes, petróleo, droga, armas tráfico humano, etç.
Dirigentes politicos já eram.
Já agora; já alguem indagou as relações politicas da IURD em Portugal ??
Tudo isto com "imbecibilidade?" do jornalismo internacional.
Aos traficantes para-militares de droga chamam guerrilheiros, aos movimentos de libertação chamam terroristas. às seitas religiosas chama-se culto ou evangélicas, aos que vão a fátima chama-se pregrinos. A uns chama-se de fé a outros de fanatismo.
Chega.....começava a precisar do blog
Carlos Filipe