junho 03, 2011

Declaração Pública II

Tal como em Janeiro passado vejo-me obrigado a declarar publicamente a minha inocência face aos graves crimes que se avizinham, dando crédito a algumas "sondagens", que dão antecipadamente a vitória à direita.

Não voto PPD, CDS ou PS porque:

1.º Não me revejo na cobardia dos partidos do poder quando, de joelhos, foram prestar "vassalagem" à troika que os alimentou, encorajou nos roubos, e finalmente resolveu apresentar a conta para nós pagarmos;

2.º Não alimento idas ao pote àqueles que, com muita sedinha, se preparam para o banho, à custa dos mais pobres e com a promessa de fazer crescer mais a barriga aos barões, aldrabões e oportunistas que dão pelo nome de "empresários"* e que não passam de chulos que sempre viveram à custa do ESTADO.

3.º Não me deixo enganar por "actores" medíocres como Sócrates, Portas ou Coelho que mais não são do que serviçais dos poderosos que os manipulam como marionetas;

4.º Não aceito ter que viver nesta MERDA de sociedade que nega a oportunidade aos melhores em detrimento de "Chicos espertos!" que se guindam aos mais altos cargos à custa de habilidades, desonestidade e se põem a jeito (lembram-se do Zé Manel que garantiu o lugar na Comissão Europeia só porque foi servir os cafés à quadrilha do Bush nos Açores?... Agora quando vai a Nova Iorque "torra" 28 000 euros em 4 noites).

5.º Não pactuo com a gestão ruinosa do Estado, nomeadamente no que toca à utilização de software proprietário e defesa das patentes, causando enormes danos às contas públicas.
A protecção descarada à Microsoft deixou-nos na sua dependência económica, política e estratégica pondo em causa os segredos de Estado, entregando àquela empresa o CONTROLO quase total da nossa administração, economia e recursos essenciais.

6.ª Não posso aceitar que, com habilidades legislativas, estes partidos alimentem a CORRUPÇÃO na administração, nas empresas, e na sociedade em geral;

7.º Para que eles estejam ao serviço das corporações (saúde, educação, justiça) que "mandam" no Estado para que ele abra as portas à exploração desenfreada em detrimento dos interesses de todos nós;

8.º Porque eles já mostraram ao longo de mais de 30 anos que os seus projectos estão falidos há muito, e que as soluções que apontam não resolvem os mais elementares problemas da nossa sociedade.

9.º Porque não acredito que eles representem a vontade popular.
Basta pensar que eles são eleitos por minorias (clientelas partidárias) porque infelizmente ainda há quem acredite que não votando está no caminho certo.

10.º Porque eles, à partida, já estão a ganhar cerca de 755 000 votos, provenientes dos "zombies", que o sistema criou, para reforçar as contas dos partidos "autorizados" a repartir o poder.

Por tudo isto, não me revendo no PPD, CDS ou PS, só me resta votar à esquerda, único espaço ideológico em que acredito, apesar de algumas vezes discordar das suas prioridades.
Apelo a todos para que ACORDEM e não se deixem enganar.
Por mim não recebem um tostão para enriquecer o FMI, Banco Central Europeu ou outros agiotas da mesma laia porque não subscrevo com o meu voto os crimes contra os portugueses que estes senhores se preparam para cometer.

Nota: Quem segue os meus comentários terá notado a inversão na ordem no nome dos partidos que abomino: O PPD passou agora para primeiro lugar por ser o alvo número 1 a abater!
PS, PPD e CDS continuam a ser o CENTRO-DIREITA português.
O Socialismo está na gaveta desde 1975 e foi o sr. Mário Soares que o colocou lá para não mais sair!...
------------------------------------------------------------------------------------------
* Não confundir com os verdadeiros empresários (alguns poucos) que ainda resistem e que nunca precisaram do Estado nem das parcerias público-privadas para exercerem a sua actividade. Conheci alguns nos meus 34 anos de trabalho, mas também conheci a outra "laia"...

3 comentários:

Páscoa disse...

Subscrevo inteiramente, amigo Jaime.Com o meu voto também não põem lá o cú.Só posso, como tu, Jaime, votar á esquerda.Ainda pensei em me abster, mas isso significa, de facto, dar-lhes um voto.Grande abraço.Zé Páscoa.

TRAMONTANO disse...

Pequena correcçao:

O Socialismo, no seu sentido mais original, so foi colocado na gaveta em 84, aqundo da segunda visita do fmi.

Mas deixo tambem uma pergunta: Esses partidos que tu nos apontas, sera que querem ser governo? Duvido.

JSP disse...

Resposta a Tramontano:
Quanto à precisão sobre o ano em que o “socialismo” foi fechado na gaveta, pouco me importa. Sabemos é que até hoje ele lá se mantém, bem guardado, para descanso dos socialistas de chapéu de côco.
Sobre a pergunta: É claro que a esquerda nunca poderá governar neste sistema. Isso é para os boys e girls educados nas escolas e nas juventudes partidárias que preparam os burocratas destinados a manter a linha de rumo traçada pelos seus patrões e poderosos.
Fazendo um pouco de ficção: Poderíamos admitir que um dia a ESQUERDA chegava ao poder por via de eleições. Era certo e sabido que logo a seguir, o centro-direita desencadeava um golpe (tipo 25 de Novembro de 1975) até violento, caso isso fosse necessário.
Por isso não venha atirar areia para os olhos afirmando que os partidos de esquerda não querem governar.
Isso são contas de outro “rosário” (salvo seja). Esta aberração que se chama democracia representativa está falida. Venha de lá a DEMOCRACIA DE VERDADE: Eleição da base para o topo, controlo, fiscalização e substituição dos cidadãos eleitos pelos seus pares. Esta é a verdadeira escolha dos melhores com provas dadas e reconhecidas no bairro, na freguesia, no concelho, no distrito e finalmente no governo central.
Utopia? Dá sempre jeito ter essa saída. Vamos experimentar? Que chatice esta coisa da ideologia política, da esquerda e da direita...
É muito mais fácil e redutor afirmar que isso já não se usa. O que está a dar é mesmo a vigarice, o “Chico-espertismo”, ser bem falante e habilidoso qb.
A direita acaba de conquistar o poder, vamos ver se é capaz de o manter. É que isso é muito mais difícil!