junho 16, 2005

Em memória de Eugénio de Andrade

Frente a frente

Nada podeis contra o amor,
Contra a cor da folhagem,
contra a carí­cia da espuma,
contra a luz, nada podeis.
Podeis dar-nos a morte,
a mais vil, isso podeis
- É tão pouco!

Eugénio de Andrade
(1923-2005)