abril 03, 2008

Registos

A Fundação para uma Infraestructura de Informação Livre (FFII) emitiu hoje um comunicado onde acusa a International Organization for Standardization (ISO) de favorecer a Microsoft ao permitir que a norma OOXML fosse aprovada, uma notícia já avançada pelo TeK.

Rui Seabra, vice-presidente da ANSOL, e membro do comité técnico nacional, expressa de forma irónica a sua opinião quanto à vitória da Microsoft, referindo que a empresa esta está de parabéns pois conseguiu "forçar um documento incompleto e cheio de erros como standard internacional, que apenas eles podem implementar. Está então provado que o standard de qualidade da ISO/IEC pode ser subvertido".
Fonte

Comentário: Não me surpreende de todo esta notícia. Só o facto da Microsoft ter revelado há dias a "sua vitória", quando ainda nem sequer foi anunciada a decisão da comissão ISO, revela bem o peso da pressão que fez junto das entidades decisoras. O "Império Dark Side" tem muitos dólares para comprar o que precisa!

Outras confrarias

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Jorge Ortiga, afirmou esta segunda-feira, na abertura da assembleia plenária do organismo, que decorre até quinta-feira em Fátima, que “o Estado Democrático não pode ser militante ateu”.
Fonte

Comentário: A "padralhada" anda para aí muito activa. Por outro lado têm saído várias notícias que revelam a fortuna escandalosa desta igreja católica que nunca foi dos pobres e que sempre esteve ao serviço de tiranos e opressores.
José Sócrates corre o risco de se transformar no Marcello Caetano II. Não consegue agradar aos "ultras" nem aos liberais...
Dava jeito vir aí uma PRIMAVERA diferente que acabasse com os privilégios mantidos antes e depois do 25 de Abril.

2 comentários:

Anónimo disse...

A Igreja, históricamente, nunca - ou só raramente através de alguns seus agentes rapidamente esmagados pela sua hierarquia de poder - esteve atenta à evolução social e científica ou apoiou os desprotegidos ou reconheceu os que provavam estar os seus dogmas errados, ao contrário de que prega e quer fazer passar como mensagem. Tem, pelo contrário como instrumento de poder, dois mil anos de prática a defender os seus previlégios pela manipulação e condicionamento das opiniões e, muitas vezes, pela proximidade interesseira dos poderes mais abjectos. É normal a sua reacção de defesa. Compete a todos nós combatê-la nestes seus obscuros campos! Como não sou fundamentalista religioso, até acredito que a Igreja possa desempenhar outro papel mais útil à sociedade! Mas, para isso, tem de demonstrar na sua prática, efectiva e claramente, que defende os desprotegidos, combate as injustiças, "expulsa os vendilhões do templo", - a expressão é da sua liturgia. Nesse momento talvez a sociedade, e eu, lhe possamos dar credibilidade e autoridade moral.
Francisco Costa Duarte

Anónimo disse...

O Dr. Jorge Ortega, secretário da conferência episcopal portuguesa,- quem é, não conheço, não elegi - pode dizer o que quizer e é isso que é preocupante na sua intervenção: ainda não percebeu que a sua opinião vale o que vale, isto é, pouco! Convencerá os seus já convencidos, poucos, mas deixará e manipulará, na dúvida, bons católicos praticantes que achariam que o que seria importante os Bispos Portugueses se preocuparem era com as desigualdades sociais, o combate à pobreza social e cultural, e assumirem a humildade franciscana combatendo o poderio ditatorial/manipulador/ostensivo/rico da Igreja que conhecemos! É possível que o Sr. Bispo ache que o Estado é ateu, valha isso o que valer, porque eu pensava que o Papa já tinha chegado à conclusão que estas figuras teóricas e desfazadas da realidade não têm validade no mundo de hoje (o nosso mundo é muito cruel, "ateu" e condenável, mas a inquisição clerical conseguia ser ainda mais "ateia", cruel e condenável!)Apoio, totalmente, a Conferência Episcopal na publicação das provas do ateísmo do Estado e da 1ª República, desde que, e só desde que, publique, em simultâneo, as provas da falta de humanidade da Igreja na Inquisição, na exterminação dos Cátaros, na colaboração encapotada com os nazis!
Tenho formação católica na minha juventude: aceito, compreendo e posso apoiar, opiniões como as do ex-bispo de Setúbal D. Manuel Martins ou de D. Januário Torgal Ferreira, que compreenderam a realidade social que os cerca. O sr. Bispo Ortega não me convence com os seus argumentos de marketing, nem consegue livrar-se do depreciativo, que não uso mas compreendo, de "padralhada" e se for consequente com o que parece defender (empresas "católicas/opus dei" como BCP, por exemplo), prepare a sua demissão por falta de resultados! Comigo e muitos mais!
Francisco Costa Duarte